terça-feira, 23 de agosto de 2016

Erosão Dentária, Abrasão e Atrito


      A Erosão dentária é um problema que acomete a estrutura dentária diminuindo a espessura das camadas do dente a partir do contato com substancias ácidas; são processos químicos que  causam a perda progressiva da parte mineral, modificando contorno, forma e interferindo , em médio prazo, nas articulações temporomandibulares, podendo acarretar em problemas posturais e de coluna com o agravamento da doença.
      Outras formas de desgaste são a abrasão e ao atrito dentário que da mesma forma fazem perder estrutura mineral por movimento de fricção e pelo contato entre os dentes com forças desmedidas.
      Muitos autores, desde bastante tempo, tem pesquisado esta enfermidade em busca de causas e tratamentos que pudessem dar conta de resolver o problema ou amenizá-lo ( vide alguns artigos no final desta postagem) Ainda hoje a preocupação da classe odontológica é grande e se observa que a solução é complexa já que é um problema multifatorial que uma vez instalado pode requerer a participação de muitos profissionais no tratamento.
       Observamos que os índices de cárie tem diminuído com o tempo, com a conscientização da população, com as técnicas curativas e preventivas á disposição, com as politicas e iniciativas publicas mas observamos também que a erosão está aumentando e isso se deve aos hábitos das pessoas, ao stress do dia a dia, entre outros.
       Em 2013, o Dr Rogério Pavan, escreve para o site da FGM, sobre 7 hábitos que podem ser prejudiciais e que são comuns a quase todos nós, abaixo seguem os que mais tem a ver com o tema:
        
Morder tampa de caneta – Aquela mania, aparentemente inofensiva, de morder a tampinha da caneta na aula ou no trabalho, pode levar à erosão dos dentes. As pessoas têm o hábito de morder sempre na mesma região e, com isso, pode ocorrer um desgaste irregular dos dentes. Além disso, a utilização da boca fora do seu contexto normal pode gerar distúrbios articulares, resultando em dores na região do ouvido que, em médio prazo, podem trazer um desequilíbrio para coluna vertebral.

Abrir garrafas com os dentes - Este hábito pode levar à fratura dos dentes. O resultado varia de acordo com o nível do estrago causado no dente, mas vai desde uma simples restauração a um implante dentário.

Usar água oxigenada ou bicarbonato para clarear os dentes - É comum que muitas pessoas tentem clarear os dentes com métodos caseiros, mas eles podem ser perigosos. Para clarear os dentes, a água oxigenada deve estar em uma concentração muito elevada, por isso ela passa a ser erosiva para os tecidos gengivais, o que pode gerar ulcerações ou mesmo retração gengival. O uso do bicarbonato pode tornar a superfície dos dentes ainda mais rugosa, aumentando a retenção da placa bacteriana. Inicialmente o dente irá clarear, mas com o passar do tempo terá muito mais facilidade de ficar manchado e escuro. Por isso, é melhor não arriscar! Consulte o seu dentista.

Morder alimentos duros – Neste caso, o risco está na fratura. Não é pelo fato de os dentes serem muito resistentes que devemos abusar da sua força mordendo balas duras, gelo ou ossos de galinha, por exemplo. Em muitas situações, os dentes se quebram por ‘apertamento’ ou bruxismo. Morder coisas duras aumenta as chances de perder os dentes precocemente. Nossos dentes são ferramentas maravilhosas que não servem apenas para mastigar ou morder as coisas. O tempo estimado de mastigação fica em torno de duas horas por dia. No restante do tempo, os dentes são os pilares que mantém o espaço adequado para a língua, a fim de proporcionar uma melhor eficiência respiratória. Fraturas ou perdas dentárias podem gerar disfunções importantes. Além disso, existe uma relação muito íntima entre os dentes e a postura da coluna vertebral. Uma simples restauração inadequada ou um dente quebrado pode, em longo prazo, trazer desequilíbrios para todo o corpo.

Saliento além destes o uso de alimentos e bebidas ácidas como os refrigerantes, principalmente a base de cola, sucos ácidos, o uso de dentifrícios abrasivos como os clareadores, sem a devida orientação; também para o caso de apertamento e bruxismo, influenciam a tensão muscular de uma vida agitada e estressada, o pouco sono ou irregular, o uso desmedido de equipamentos eletrônicos com jogos e aplicativos principalmente de violência e velocidade, o transito; para o caso de abrasão se observa a escovação vigorosa como um dos principais fatores.


       



 Resultado de imagem para imagens de erosão dentária  



     



   













Exibindo 20160806_095541.jpg
 Foto curso de Oswaldo Scopin
Exibindo 20160806_095851.jpg
 Foto do curso de Oswaldo Scopin

Qual é a resposta da ultima pergunta? Você arrisca um palpite? ( responda nos comentários, se quiser!!!)

Esta postagem não é um artigo cientifico, tem apenas carácter informativo e não abrange toda a complexidade da questão, nem todas as suas nuances e aspectos,  para avaliar e tratar o procedimento deve ser individualizado, sendo imprescindível a atuação do cirurgião dentista.´

É isso!
Tchau





Artigos para busca:

Pegoraro, Carolina Nunes; Sakamoto, Fernanda Ferreira Oliveira; Domingues, Lucirene Aparecida  2000)

A erosäo dentária é causada por substâncias ácidas que entram em contato com os dentes com freqüência. Quando a erosäo é provocada por vômitos e regurgitaçöes crônicas do conteúdo ácido do estômago, o quadro odontológico é conhecido como "perimólise" e pode levar a perdas severas de esmalte e dentina, principalmente nas superfícies palatinas, linguais e oclusais. 

Tradução livre do original: Jablonski, Dictionary of Dentistry, 1992, pg 296)

Perda progressiva da substância dura de um dente por processos químicosque não envolvem ação bacteriana.  
perda de substância causada por ação química sem ação bacteriana: diferencie de ABRASÃO DENTÁRIA (perda de substância causada por fricção) & ATRITO DENTÁRIO (desgaste através do contato dente-com-dente)





Caldeira, Thaís Henriques; Nápole, Rita de Cássia D'Ottaviano; Busse, Salvador de Rosis. 2000


O número de casos do transtorno alimentar bulimia nervosa vem aumentando significativamente ao longo destes anos, estimulado, sobretudo, por uma sociedade moderna que atribui sucesso e beleza a um corpo magro. Na constante busca por esse padrão de beleza estigmatizado, muitas pessoas entram em um círculo vicioso de obsessão em que a ansiedade leva à compulsão alimentar, seguido da utilização de métodos compensatórios para evitar o ganho de peso, sendo dentre eles o mais freqüente a regurgitação, que a longo prazo provoca sérias alterações dentais. O objetivo deste artigo, portanto, é apresentar as alterações erosivas decorrentes desse nocivo hábito de regurgitação, bem como advertir o cirurgião-dentista acerca de seu importante papel no diagnóstico precoce de bulimia nervosa (AU)  

ODONTOLOGIA DO TRABALHO - UMA REAL NECESSIDADE Marcos Takemoto1 Fabio Werlang2 Elton Zeni3 2016

Sem as medidas de assistência odontológica em várias e determinadas indústrias, inúmeros trabalhadores terão fatalmente vulnerada a primeira porção do aparelho digestivo, por um lado, prejudicando sua função especifica, e por outro, favorecendo a patologia geral. Resume que a boca é uma das principais vias de acesso de substâncias tóxicas no organismo e que a mucosa bucal reflete o estado de saúde do indivíduo e que certos sinais encontrados ali têm expressão de patognomônicos. (CARVALHO, 1981)